domingo, 29 de maio de 2016

Mortalidade Infantil

LEIA COM ATENÇÃO E ENTENDA UM POUCO MAIS SOBRE ESTA REALIDADE!

          A taxa de mortalidade infantil expressa o número de crianças de um determinado local que morre antes de completar 1 ano de vida a cada mil nascidas vivas. Esse dado é um indicador da qualidade dos serviços de saúde, saneamento básico e educação.

         Entre as principais causas da mortalidade infantil estão a falta de assistência e de instrução às gestantes, ausência de acompanhamento médico, deficiência na assistência hospitalar, desnutrição, déficit nos serviços de saneamento ambiental, entre outros. A ausência de saneamento provoca a contaminação da água e dos alimentos, podendo desencadear doenças como a hepatite A, malária, febre amarela, cólera, diarreia, etc.

        Conforme dados do Fundo de População das Nações Unidas (Fnuap), a taxa de mortalidade infantil mundial é de 45 óbitos a cada mil crianças nascidas vivas. Esses dados estão em constante declínio, visto que há 20 anos o número de mortes de crianças com menos de 1 ano era de 65 para a mesma quantidade de nascidas vivas.

        Contudo, é importante destacar que essa redução não ocorre da mesma forma em todos os países. Nas nações desenvolvidas economicamente, a taxa de mortalidade infantil é muito baixa, sendo que algumas registram médias inferiores a 3 mortes para cada mil nascidos, como o Japão, Islândia, Finlândia, Suécia, Noruega e Cingapura. No Brasil, essa taxa é de 22 para cada mil nascidos.

        Por outro lado, alguns países possuem taxas de mortalidade infantil altíssimas: Afeganistão (152), Chade (127), Angola (111), Guiné-Bissau (109), Nigéria (107), Somália (106), Mali (103) e Serra Leoa (102). Diante desse cenário, a Organização das Nações Unidas (ONU) incluiu a redução da mortalidade infantil entre uma das oito Metas de Desenvolvimento do Milênio.

         Para que o objetivo seja alcançado, os países ricos devem contribuir para a estruturação das nações que enfrentam esse grande problema social, realizando a construção de hospitais, capacitação da equipe médica, educação familiar, subsídios para a alimentação adequada, saneamento ambiental, entre outros.

Formação de Ventos!!!


Ilhas de Calor!!!!







Acesse o link a seguir e assista o vídeo:

http://g1.globo.com/pernambuco/videos/v/professor-de-geografia-explica-conceito-de-ilhas-de-calor/2759197/

Efeito Estufa X Aquecimento Global








Acesse este link e assista o vídeo sobre impactos das Mudanças Climáticas, no Brasil!!!

http://portaldoprofessor.mec.gov.br/storage/recursos/9220/11_impactos_no_brasil_e_no_mundo/11_impactos_no_brasil_e_no_mundo.html

sábado, 21 de maio de 2016

A história do clima!


Diferença entre Clima e Tempo.




Bem pessoal, antes de saber o que é clima, você precisa entender o que é tempo atmosférico.

Tempo é o conjunto de valores (de temperatura, de pressão, de umidade e de precipitação) que em um dado momento e em certo lugar caracterizam o estado momentâneo atmosféricos de um determinado lugar (isto é, naquele momento específico)
tempo é o estado da atmosfera em um local determinado e em um momento definido. Assim, por exemplo, pode-se dizer que hoje em Londrina o tempo é quente e ensolarado, Por outro lado, o clima é a condição média da atmosfera durante um longo período. Assim, dizemos que o clima em Londrina é subtropical, com temperaturas amenas e chuvas bem distribuídas ao longo do ano.

Tempo atmosférico corresponde ao estado da atmosfera num determinado momento, ou seja, é como se fosse uma "fotografia" da atmosfera, pela qual se percebem as condições meteorológicas, por exemplo: nublado ou não nublado.

Exemplificando:
- Se está fazendo sol ou não.
- Fazendo calor ou não.
- Fazendo frio ou não.

É isso pessoal!!!! Não tem como complicar, ok?!?!

As condições atmosféricas mudam constantemente. Existem mudanças bruscas que acontecem em poucas horas e processos amplos que duram séculos ou milhares de anos. Por isso é importante saber a diferença entre tempo e clima.

E o que é Clima????

Clima é o resultado dos registros do tempo atmosférico de um determinado lugar, realizados durante um período aproximado de 30 anos. 
Ou seja: o clima corresponde a sequência habitual de tempos atmosféricos. Por exemplo, no Brasil predomina o verão chuvoso e o inverno seco, formando o clima tropical continental. Portanto, o clima é mais duradouro ou permanente e não muda constantemente como o tempo atmosférico.

A observação dos tipos de tempo mais comuns e sua distribuição durante o ano revelam o clima de uma região. Para conhecê-lo, são analisados seus elementos principais (temperaturas, precipitações, ventos e pressão do ar), que têm suas condições médias estudadas ao longo de décadas.

Como os dados meteorológicos são obtidos

A temperatura é medida com um termômetro e seus valores são dados em graus, sendo a escala mais comum a Celsius. Como as temperaturas variam muito, nos estudos científicos os valores extremos são tão importantes quanto os médios.
As chuvas são medidas por meio do pluviômetro, que é um recipiente com marcas para a medição da altura da água da chuva nele contida. Se em um dia a água atinge 50 mm, dizemos que houve uma precipitação de 50 mm de chuva.
A pressão do ar é medida por um barômetro, em mm/Hg (milímetros de mercúrio). Quanto maior a pressão, menor a possibilidade de chuva.
A nebulosidade indica a existência ou não de nuvens e em qual altitude elas estão.
Para determiná-la, usa-se um feixe de laser que rebate na base das nuvens. O tempo gasto para o feixe ir e vir permite calcular a altitude da nuvem.
A direção do vento indica a sua orientação. É importante, pois permite conhecer as mudanças no tempo. Se uma nuvem está próxima do observador, mas o vento sopra em direção a ela, significa que ela não o alcançará. Cata-ventos e birutas são usados para determinar a direção dos ventos.

EXERCÍCIOS!!!

1 - Sobre os conceitos referentes a clima e tempo, destaque a opção correta:
a) Esses conceitos são sinônimos.
b) O clima é inconstante, ou seja, varia o tempo todo.
c) O tempo é considerado constante, não possui variação.
d) O Brasil inteiro possui o mesmo clima.
e) O clima é constante e o tempo é inconstante, ou seja, variável.

2 - ___________indica uma sucessão de varia­ções do tempo em um determinado lugar du­rante um longo período, no mínimo 30 anos.
Qual alternativa completa a lacuna da frase acima?
a) clima      b) tempo    c) temperatura

3 - O estado momentâneo do ar, num deter­minado local da Terra, caracteriza o ______ atmosférico desse lugar.
Qual alternativa completa a lacuna da frase acima?
a) clima      b) tempo    c) temperatura

4 – Como se chama a diferença entre a maior e a menor tem­peratura é a amplitude térmica de um lugar, que também pode ser diária, mensal e anual?
a) temperatura máxima    b) tempo      c) amplitude térmica

5 - Quando a umidade do ar é muito baixa, em determinados meses do ano, o que pode ocorrer conosco?
a)      a garganta fica seca e dolorida e o nariz pode sangrar.
b)      a garganta fica úmida e dolorida e o nariz pode sangrar.
c)       a garganta fica úmida e dolorida e o nariz pode ter sangramentos.

6 – Qual é sinônimo de granizo?
a) geada     b) chuva de pedra    c) nevoeiro

7 – Como se chama a  solidificação do orvalho e ocorre em madrugadas muito frias, quando as gotas de água do orvalho se resfriam a menos de 0 °C?
a) geada     b) chuva de pedra    c) nevoeiro

8 - _________formado pela condensação do vapor de água na atmosfera e se forma perto do solo.
Qual alternativa completa a lacuna da frase acima?
a) chuva      b) nevoeiro   c) geada

9 -  Qual é o nome da ciência que estuda a atmosfera e seus fenômenos?
a) meteorologia    b) geologia     c) agronomia

10 – Qual das alternativas abaixo não é uma precipitação?
a) geada     b) chuva de pedra    c) chuva    d)neve

11 – Qual é a precipitação que ocorre quando a temperatura nas nuvens permanece abaixo de 0o C e faz o vapor da água condensar-se e transformar-se em cristais de gelo?

a) geada     b) chuva de pedra    c) chuva    d) neve